quarta-feira, 17 de abril de 2013

Resenha - O Orfanato da Srta. Peregrine para Crianças Peculiares

"E como se essas imagens não fossem bizarras o suficiente, as outras duas pareciam saídas de pesadelos."

O Orfanato da Srta. Peregrine para Crianças Peculiares
Autor: Ransom Riggs
Editora: Leya
Páginas: 336
Ano: 2012


Sinopse: 
Tudo está à espera para ser descoberto em O orfanato da Srta. Peregrine para crianças peculiares, um romance inesquecível que mistura ficção e fotografia em uma experiência de leitura emocionante. Nossa história começa com uma horrível tragédia familiar que lança Jacob, um rapaz de 16 anos, em uma jornada até uma ilha remota na costa do País de Gales, onde descobre as ruínas do Orfanato da Srta. Peregrine para crianças peculiares. Enquanto Jacob explora os quartos e corredores abandonados, fica claro que as crianças do orfanato são muito mais do que simplesmente peculiares. Elas podem ter sido perigosas e confinadas na ilha deserta por um bom motivo. E, de algum modo – por mais impossível que pareça – ainda podem estar vivas. 

Oi Pessoal,

Diferente ou porque não, peculiar? O Orfanato da Srta. Peregrine para Crianças Peculiares traz uma nova perspectiva de apresentação literária numa mistura de fotografias reais e escrita fantasiosa.

O livro passa a impressão de ter sido escrito conforme as fotografias foram surgindo, ou seja, a história se desenrola com base na apresentação das imagens. E é exatamente este o ponto, pois o grande atrativo da obra são as fotografias.
As imagens são antigas e bizarras, algumas até macabras. O que nos leva a pensar no por que alguém se se deixa fotografar nessas situações. O autor em seu total êxtase imaginativo compreendeu ao seu modo o mistério por detrás das imagens e compartilhou este conosco.

Jacob cresceu ouvindo as histórias extraordinárias de seu avô, do tempo que morava em um orfanato, no período da Segunda Guerra Mundial. Após sua misteriosa morte, Jacob se vê tão envolvido por essas histórias antigas ao ponto de começar a vivenciá-las.

O panorama possui propensão à contos de terror para crianças, com cenários  fantasmagóricos e sombrios que são perfeitamente visualizáveis. Porém há uma divergência com o teor da narração, que em um primeiro momento se mostra como um suspense e no desenrolar da trama se modifica bruscamente para uma aventura. Sem sutileza nenhuma, Riggs desestabilizou sua escrita e muito leitores sentirão o impacto na obra. 

De forma simples e lenta a narrativa acontece em primeira pessoa, na visão de Jacob, assim fazemos parte de sua mente fantasiosa que por vezes nos engana, a nuance do real e do imaginário é muito tênue.

Um número considerável de personagens com capacidades excepcionais são apresentados para os leitores, entretanto não foram devidamente explorados, se tratando de uma série este problema ainda pode ser corrigido, mas exatamente neste livro não houve aprofundamentos psicológicos ou físicos. O que causa desinteresse em muitos personagens que têm muito a oferecer. E suas qualidades que antes atiçavam a curiosidade, passaram como corriqueiras.

O romance também não é o ápice da literatura, já que os aspectos morais persistem em fazer parte do tal, não permitindo fluidez.

As menções sobre a segunda guerra mundial no enredo são muito interessantes, mesmo que realmente não tenham acontecido. Para os cativados por trechos históricos o livro tem o seu momento.

Não aprovo a ideia de Riggs em tornar esta obra uma série. O desfecho foi permeado de ação e decisões um tanto previsíveis, e sim se manteve aberto, porém é um final satisfatório que permite ao leitor imaginar o que vem a seguir.
Quem busca uma história fantasiosa, criativa e diferenciada, O Orfanato da Srta. Peregrine para Crianças Peculiares é uma indicação óbvia.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário é muito importante. ^^