quinta-feira, 1 de dezembro de 2011

Resenha - Invasora: A Convocação

"Nada fazia sentido. Definitivamente, não era um sonho. De alguma forma isso era real ou eu estava completamente louca." 


Invasora - A Convocação
Autor: J. S. Dalmolin
Editora: Novo Século
Páginas: 345
Ano: 
2009


Sinopse: 
Sammy é apenas mais uma adolescente, entre tantas, que enfrenta a difícil crise da separação dos pais. Ela achava que a sua vida estava um verdadeiro caos, porém as coisas ficam ainda piores quando ela é atropelada e acorda no século XVI. No início pensou estar sonhando, depois achou que estava ficando completamente louca, mas percebeu que nada teria importância se o amor que descobriu sentir por Ian fosse correspondido. Contudo, esse amor está fadado ao fim, ela terá que retornar ao seu tempo se quiser continuar vivendo. Um envolvente romance onde as aparências enganam e o tempo também é um inimigo. 

Oi Pessoal!!
Antes de começar a resenhar, li algumas críticas feitas ao respectivo livro e vi que muitos se utilizaram da comparação (especificamente com o “Crepúsculo”) para escrever. Creio que esse assunto é um outro tipo de discussão, por esse motivo vou tentar me manter calada, sem comparar.

O livro possui uma trama bem pensada, mas em minha opinião o que se destaca na leitura são os personagens. Não é uma história com personagens, são personagens com uma história, o enredo toma forma a partir deles.

Temos Sammy, uma adolescente comum, com problemas comuns, que num acidente, vai parar no século XVI. Em um local povoado por seres sobrenaturais, onde encontra “sua alma gêmea”, Ian. E claro, as coisas nunca serão facilitadas para que possam viver esse amor.

Os capítulos são intercalados entre o ponto de vista da Sammy e do Ian para os mesmos acontecimentos. No início fiquei receosa, achei que fosse ficar chato e cansativo, mas me enganei, Dalmolin conseguiu escrever a mesma história, com olhares e sentimentos distintos.

Os personagens são bem descritos e cada um possui a sua devida personalidade, nota-se que houve certo trabalho e cuidado não só com a aparência deles mas também com suas características psicológicas.

No caráter aparência, tive a impressão de “retorno as origens”, quando os monstros eram monstros e não ficavam brilhando por aí, me veio à memória uma referência, Nosferatu!
Mas não só vampiros fazem parte deste universo, as bruxas, os fantasmas e os homens invisíveis também participam da brincadeira, uma mescla no mínimo interessante.  

Dalmolin segurou o quanto pode as respostas para os enigmas da história, sendo que nem tudo ainda foi explicado, mas não vejo problemas nesse aspecto, isso fez com que eu ficasse presa na leitura, ansiosa pela descoberta. Além de ser um recurso, já que haverá uma continuação.

Uma leitura que flui bem. Mas lembre-se é a história de uma adolescente, logo, os conflitos são de uma adolescente com indecisões, sentimentos intensos e atitudes impensadas.


Se você quer conhecer mais sobre a autora e o livro visite o blog -> http://www.invasora.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário é muito importante. ^^