terça-feira, 20 de janeiro de 2015

RESENHA - FEÉRICA

"De fato, Violet era a fada mais humana que já haviam visto."

Feérica
Autor: Carolina Munhóz
Editora: Fantasy - Casa da Palavra
Páginas: 352
Ano: 2013

Sinopse: E se uma fada se revelasse em um reality show? Violet Lashian tem apenas um objetivo: ser famosa em seu mundo. Mas quem nunca se seduziu por esse pensamento? Ignorada pelas fadas de uma sociedade que preza a padronização, a jovem de cabelos roxos decide abandonar seu sofrimento em busca de um lugar entre as estrelas de Hollywood. Bastidores de reality shows. Festas badaladas. Encontros amorosos com jovens milionários. Entrevistas em rede mundial. Fama instantânea, dinheiro e poder. De repente, a feérica se vê cercada pela realidade com que sempre sonhou. Mas será que Violet é capaz de manter a pureza de sua raça mágica em um mundo corrompido pelo deslumbre material? E quais seriam as reais consequências de sua revelação para a existência oculta de seu povo? Você descobrirá tudo isso e muito mais nos próximos capítulos deste livro.

Violet Lashian é uma fada “diferente” e incompreendida, após uma série de descontentamentos tem a oportunidade de partir de seu mundo, Abhlack, para a dimensão terrestre. Já por aqui passa por experiências incríveis como uma criança em fase de descobertas e admiração. Em meio a sua fascinação, participa de um reality show onde se revela para os humanos, e é aí que história começa.   

A Fada conta sua história em um Talk Show, não em primeira pessoa e sim em terceira, como alguém que está assistindo a um filme, transformando os acontecimentos de sua vida em cenas que não necessariamente são do seu dia-a-dia. As cenas são importantes para que ocorra a história, e só em alguns instantes existe uma falta de conexão entre estas. 

Um chick-lit atual fundido com fantasia, uma amálgama interessante, porém não devidamente explorada em Feérica. Não que faltem informações que envolvam os estilos, mas também não houve um aprofundamento descritivo, aspecto já fundamentado no mundo fantástico. No entanto, creio que esta questão é uma deficiência do estilo chick-lit, quase sempre superficial.

A ambientação se da em Los Angeles e por ser um local existente penso que este foi o fator que contribuiu para a escassez de descrição. O problema está nas sensações e sentimentos, pois foram prejudicados, implicando nos valores e envolvimento do leitor com a obra.

Assim ocorre com o romance, previsível, e nitidamente sem sua dose reforçada de açúcar. Se este tempero tivesse sido concentrado, com certeza faria muitas moças suspirarem, já que o par de Violet tinha características para tanto.

A obra é voltada ao público feminino, fato. Principalmente quando o assunto se refere ao figurino da personagem, sempre bem detalhado, inclusive com citação de marcas, Violet é a cara da riqueza.

Mas nem tudo neste mundo se resume a sucesso e magia, Feérica toca em assuntos importantes do universo juvenil como, por exemplo, a discriminação, o bulling e o consumismo exagerado.  E com tantas referências ao show business, rolaram críticas sobre a vida vazia, interesses e como o sucesso pode subir à cabeça. A protagonista vive esse mundo e mostra uma crise de identidade.   

As referências não se restringem somente as celebridades e grifes, ao contrário, as melhores referências são as nerds, e o que deixou interessante foi o fato de não ser necessário que os nomes das obras literárias fossem explicitamente revelados, quem lê muita fantasia com certeza acertará facilmente.
Há referências também nos nomes dos capítulos, cada um retirado de uma série televisiva, e em meio a toda confusão provocada pela Fada se encontra uma menção ao livro de Raphael Draccon, Fios de Prata, Madeleine e as musas de seu livro.

A escrita é moderna, o vocabulário atual e com o uso de algumas gírias, tornando a leitura contemporânea e rápida, entretanto o uso repetitivo de um termo, como Feérico por vezes causa incomodo, mas nada que progrida para insatisfação.

As frases tem uma construção prática e rápida, e em alguns momentos toda a informação de determinada cena está descrita em um único parágrafo.
Por não ter tanto embasamento em suas obras anteriores não posso afirmar que as frases de impacto fazem parte do estilo Carolina de escrever, mas posso apontar que neste livro teve um excesso.   

Feérica é descolado e engraçado com um ar alto astral. Os momentos da entrevista da fada são cheios de tiradas divertidas e espontâneas.

Visualizando pela ótica dos assuntos abordados e por sua modernidade talvez a obra case melhor com os leitores juvenis. E pelo ângulo do entretenimento e divertimento não há idade para aproveita-lo. 

terça-feira, 13 de janeiro de 2015

Resenha - O Jogo da Mentira

"Só que agora o alvo do trote eram elas. E dessa vez era uma questão de vida ou morte."

O Jogo da Mentira
Autor: Sara Shepard
Editora: Rocco
Páginas: 296
Ano: 2013

Sinopse: O jogo vai começar. Primeiro volume da nova série da autora de Pretty Little Liars, que ficou mais de 50 semanas no ranking do The New York Times e vendeu mais de cinco milhões de exemplares, O Jogo da mentira acompanha a história de duas gêmeas separadas ao nascer e unidas por um misterioso assassino. Com uma trama ainda mais intrincada e sombria, que tem início quando Emma resolve trocar de lugar com a irmã, a série repete a trajetória de sucesso de PLL, com um enredo repleto de suspense, intrigas e reviravoltas de tirar o fôlego, e uma bem-sucedida adaptação para a TV.

Quem nunca ouviu falar em Pretty Little Liars? Se não foi pelos livros foi pela série televisiva. The Lying Game segue a mesma linha de raciocínio e construção: Um grupo de amigas, muitas mentiras, um assassinato, chantagens e todos são suspeitos. Receita pronta, método diferente de misturar. E deu certo? Pergunte aos de fãs de Sara Shepard.

A história apresenta as premissas de uma novela mexicana, como A Usurpadora, são muitas coincidências não criveis. Emma e Sutton são irmãs gêmeas idênticas, separadas no nascimento. Sutton tem uma vida de princesa, adotada por uma família extremamente rica, teve boa educação, roupas de marca e carro do ano, porém bens materiais não são formadores de caráter. Já Emma viveu passando por diversas famílias adotivas, nunca podendo se estabelecer em uma escola ou possuir amigos e seus sofrimentos construíram uma personalidade de boa índole.
As irmãs irão se reencontrar e é neste ponto que as atrocidades começam. Emma se vê obrigada a assumir o posto da irmã e a desvendar um assassinato, isso claro, se conseguir se manter viva.

A ambientação e o suspense formam uma mistura excêntrica, e se o leitor não for fã do gênero chick-lit, será preciso relevar muitas situações, pois há momentos fúteis, soberbos e que exultam o consumismo exagerado. Há ainda a questão das diferenças financeiras e culturais que são desnecessárias e formam um abismo entre as personagens. A impressão é de uma história por demais forçada, trazendo novamente a lembrança de uma novela.

Porém o livro se faz intrigante tanto por seu mix de gêneros, quanto por seu suspense bem elaborado, onde uma carga considerável de informações intrincadas são apresentadas conforme o avanço na leitura. A trama é construída com afinco e não permite pontas soltas, mas claro, muitas perguntas ficarão sem respostas.

A narração é o ponto suprassumo de todo este conteúdo literário. Narrado por Sutton no ponto de vista de Emma a história discorre intercalando entre primeira e terceira pessoa. De primeiro momento parece confuso, mas este método se explica durante a leitura e as transições de períodos são suaves.  

Com exceção de Emma que se encontra no foco dos acontecimentos, as personalidades dos personagens se misturam um pouco, já que todas possuem o mesmo estilo de vida. Somente com o tempo as peculiaridades ficam identificáveis.
E a essência de Sara Shepard está exatamente na criação e difusão dos mistérios e personagens ambíguos. Todos e nenhum deles se parecem com o suspeito.

Se você é daqueles leitores que gostam de acompanhar e decifrar o mistério antes que este seja revelado, leia esta obra nas entrelinhas e com cuidado, pois é garantia que em meio aos disfarces a autora revele pequenos fatores que levam ao suspeito.

Quando nos acostumamos com o enredo, fica rápido chegar ao fim do livro, pois assim como o seriado televisivo de Pretty Little Liars não há um único dia que seja monótono na vida dessas mentirosas. 

sexta-feira, 9 de janeiro de 2015

LANÇAMENTOS DE JANEIRO


Este é aquele mês que a galera ainda está se recuperando das festas de final de ano, tem muita gente de férias, focada nos exercícios físicos para perder as calorias adquiridas, portanto um mês sem uma lista enorme de lançamentos.

Mas os que temos aqui são valiosos para os fãs de séries! Você é um deles ou está de olho em outros lançamentos? Conta pra gente ;)


A Música do Silêncio
Autor: Patrick Rothfuss
Editora: Arqueiro

Páginas: 144
Ano: 05/01/2015

Sinopse:
Considerada a meca do conhecimento, a Universidade atrai as mentes mais brilhantes que buscam desmistificar os mistérios das ciências iluminadas, como feitiçaria e alquimia. Porém, bem abaixo de seus lotados corredores existe um complexo de quartos abandonados e passagens antigas. No coração desse labirinto cavernoso encontra-se uma jovem mulher chamara Auri, que chama este local de lar. 
Ex-estudante da Universidade, Auri agora gasta seu tempo cuidando do mundo ao seu redor. Ela sabe que alguns mistérios devem permanecer selados. Agora que não se deixa enganar pela racionalidade cega que àqueles que vivem acima dela confiam, Auri vê além da superficialidade das coisas e enxerga os perigos sutis e os nomes escondidos das coisas.


Amaldiçoado
Autor: Joe Hill
Editora: Arqueiro
Páginas: 320
Ano: 12/01/2015

Sinopse:
Ignatius Perrish sempre foi um homem bom. Tinha uma família unida e privilegiada, um irmão que era seu grande companheiro, um amigo inseparável e, muito cedo, conheceu Merrin, o amor de sua vida. Até que uma tragédia põe fim a toda essa felicidade: Merrin é estuprada e morta e ele passa a ser o principal suspeito. Embora não haja evidências que o incriminem, também não há nada que prove sua inocência. Todos na cidade acreditam que ele é um monstro. Um ano depois, Ig acorda de uma bebedeira com uma dor de cabeça infernal e chifres crescendo em suas têmporas.


Sonho com Deuses e Monstros
Autor: Laini Taylor
Editora: Intrínseca
Páginas: 560
Ano: 12/01/2015

Sinopse:
Dois mundos se equilibram na iminência de uma terrível guerra. Na Terra, os humanos recebem com êxtase os anjos e seu imperador, que pretendem angariar armas para um combate maligno. Jael nem desconfia de que, em Eretz, quimeras e Ilegítimos ensaiam unir forças na tentativa de alcançar a paz. Karou assumiu o controle da rebelião quimera e, ao menos na batalha contra o inimigo em comum, está, finalmente, ao lado de Akiva. É uma versão distorcida do tão antigo sonho dos dois, uma esperança de futuro para seus povos. E, talvez, para o amor que eles sentem renascer.




As Presas
Autor: Andrew Fukuda
Editora: Intrínseca
Páginas: 320
Ano: 15/01/2015

Sinopse:
Com a morte pairando sobre suas cabeças, Gene e os outros humanos precisam encontrar uma forma de sobreviver na Vastidão, uma área desértica e isolada, por tempo o bastante para escaparem dos predadores sedentos de sangue que os caçam obstinadamente na noite. Conforme a tênue linha entre inimigos e aliados se torna cada vez mais indistinta, uma coisa fica absolutamente clara: se quiser sobreviver, Gene precisará confiar em alguém além dele mesmo. Andrew Fukuda oferece aos leitores uma sequência de desdobramentos tão tensos e aterrorizantes quanto o primeiro livro da trilogia.



Amy & Mattew 
Autor: Cammie McGovern
Editora: Galera Record
Páginas: 336
Ano: 30/01/2015

Sinopse:
Amy e Matthew não se conheciam realmente. Não eram amigos. Matthew sabia quem ela era, claro, mas ele também sabia quem eram várias outras pessoas que não eram seus amigos. Amy tinha uma eterna fachada de felicidade estampada em seu rosto, mesmo tendo uma debilitante deficiência que restringe seus movimentos. Matthew nunca planejou contar a Amy o que pensava, mas depois que a diz para enxergar a realidade e parar de se enganar, ela percebe que é exatamente de alguém assim que precisa. À medida que passam mais tempo juntos, Amy descobre que Matthew também tem seus problemas e segredos, e decide tentar ajudá-lo da mesma forma que ele a ajudou.E quando a relação que começou como uma amizade se transforma em outra coisa que nenhum dos dois esperava (ou sabe definir), eles percebem que falam tudo um para o outro... Exceto o que mais importa.

quarta-feira, 7 de janeiro de 2015

DESCULPAS, PROMESSAS E EXPECTATIVAS


Em 2013 vi este Blog crescer em uma proporção que eu desejava, mas não esperava e as consequências pela falta de apresto logo surgiram.

O cenário foi este: As principais Editoras eram nossas parceiras e todo mês chegava em média sete livros para serem lidos e resenhados, além do trabalho de pesquisa para outras matérias no Blog, manter as redes sociais atualizadas, responder e-mails, mediar promoções e etc, quem já teve ou tem blog compreende como é trabalhoso (claro, também muito prazeroso).

Mas minha vida profissional não se limitava ao Blog, este a princípio era um hobby, um meio de discutir sobre a literatura com outros amantes. No fim de 2013 eu estava com a vida educacional e profissional em expansão, outros projetos surgiram e já não conseguia me dedicar a uma simples leitura. Quando percebi estava em falta com promoções, conteúdo e com as Editoras.

Um tempo foi mais que necessário para me organizar. E hoje voltei pra Toca!


PROMESSAS E EXPECTATIVAS PARA 2015

v Upgrade no layout – Mas ocorrerá com o tempo.
v Periodicidade nas postagens.
v Reformulação na dinâmica dos posts.
v Reformulação dos vídeos.
v Focar mais no gênero fantasia - Porque é meu grande amor.
v Resenhar todos os livros que leio, seja por escrita ou vídeo.

Óbvio que tenho outras promessas, mas divulgadas acho que já está de bom tamanho hahahahaha ninguém precisa saber que não estou em dia com a academia.

Guys, tenho esperança que tudo seja cumprido para que desta vez a Toca cresça e prospere pela blogosfera! Conto com a participação de vocês, para que tenhamos altas discussões e indicações de boas leituras ao longo deste ano!

Desejo que todos os objetivos de vocês sejam realizados!!!
And Enjoy!!!

quarta-feira, 17 de dezembro de 2014

The Return of the Owl



Enquanto aguarda este solene retorno, visite nossa página no Facebook =]
Em Breve mais informações.

segunda-feira, 19 de agosto de 2013

Promoção - Um Mundo Brilhante

Oi Pessoal,
Mais uma promoção cortesia da Editora Novo Conceito ;)
Participe!

Leia a Resenha - Aqui.
Regras para participação
1. Seguir este blog publicamente através do Google Friend Connect.
2. Deixar um comentário neste post. (Para validar sua participação).
3. Preencher o formulário abaixo.
4. Possuir endereço de entrega no Brasil.
5. Perfis com uso exclusivo de promoções serão desclassificados.

Instruções
v  Para logar: Pode ser pelo Facebook ou com seu Nome e e-mail
v  Depois de logar insira seu "Nome de Seguidor do Blog" e já ganhe 03 entradas.
v  As opções de curtir no Facebook, seguir no Twitter ou comentar nos posts não são obrigatórias, mas te garantem mais chances.

a Rafflecopter giveaway

A promoção termina no dia 14/09/2013 (sábado) e o sorteio e divulgação do resultado ocorrerão no dia 15/09/2013 (domingo).
O envio do livro será de responsabilidade deste blog, ocorrendo em até 30 dias após a realização do sorteio.
Em caso de dúvidas entrem em contato pelo e-mail: natocacomacoruja@hotmail.com

Boa Sorte!


quarta-feira, 7 de agosto de 2013

Promoção - Feliz 2 Anos de Aniversário!!!

Oi Pessoal,
Estimado leitor é com imensa alegria que dou início a promoção de Aniversário da Toca \o/
Ano passado o sorteio envolveu dois clássicos da literatura, este ano vamos de distopias!!!
Então, Enjoy ;]

Se atente as regras: Para participar é necessário que você comente em uma das resenhas referentes aos prêmios - Divergente e Insurgente.
Comentando nas duas resenhas você garante duas chances de ganhar ;]
Novamente, espero que os comentários possuam conteúdo (nada de "participando" hein)!
Será feito um sorteio entre as pessoas que comentarem nas resenhas até a data limite da promoção. 
Não será válido mais de 01 comentário por pessoa, por resenha.

Regras para participação
1. Curtir a página do blog no Facebook - Aqui.
2. Deixar um comentário em uma das resenhas (ou nas duas) - Aqui e Aqui.
3. Possuir endereço de entrega no Brasil.
4. Perfis com uso exclusivo de promoções serão desclassificados.

A promoção termina no dia 07/09/2013 (sábado) e o sorteio e divulgação do resultado ocorrerão no dia 08/09/2013 (domingo).
O envio do livro será de responsabilidade deste blog, ocorrendo em até 30 dias após a realização do sorteio.
Em caso de dúvidas entrem em contato pelo e-mail: natocacomacoruja@hotmail.com

Boa Sorte!

terça-feira, 6 de agosto de 2013

Resenha - Insurgente

"Ele nunca me ensinou que eles não julgam as crenças das pessoas, mas que projetam coisas que se encaixam nessas crenças." 

Insurgente
Autor: Veronica Roth
Editora: Rocco
Páginas: 512
Ano: 2013

Sinopse: 
Na Chicago futurista criada por Veronica Roth em Divergente, as facções estão desmoronando. E Beatrice Prior tem que arcar com as consequências de suas escolhas. Em Insurgente, a jovem Tris tenta salvar aqueles que ama - e a própria vida – enquanto lida com questões como mágoa e perdão, identidade e lealdade, política e amor. 


Pausa. Dava pra enxergar as moléculas de pó suspensas no ar e a gota de suor na têmpora de Tris, prestes a cair. Como se o tempo tivesse sido congelado um instante antes de eu pegar a continuação de Divergente para ler.
Assim começou Insurgente, exatamente do ponto onde havia terminado seu antecessor, em meio ao turbilhão de informações e expectativa.
Uma jogada perigosa de Veronica, pois quem não lê a continuação logo na sequência pode demorar a se situar, já que não existem os cansativos “remembers” tão vistos nas sagas.  

Insurgente sem sombra de dúvida superou Divergente. Uma vez que a história já foi introduzida e estabilizada, este pôde focar sem medo nos momentos de ação, tensão, intrigas e descobertas.
Uma leitura para explodir de adrenalina. E ainda assim o livro não se transformou em “Rambo”, ele é extremamente racional e calculista, com uma trama inteligente.

Quando obras do mesmo gênero se destacam no mercado a comparação é inevitável, e não que isso seja um problema, desde que não aconteçam ataques ofensivos por parte de seus fãs. E como já devem ter adivinhado, Jogos Vorazes foi o livro destacado para a concorrência. Sim, estas distopias possuem alguns fatores em comum, porém as diferenças entre as sagas falam mais alto. E o ponto essencial é a política.

Divergente mostra uma sociedade baseada em estamentos designados por escolhas pessoais, onde o poder e organização se encontravam nas mãos do povo. Aparentemente uma sociedade estável, porém quando acontece uma ruptura na malha governamental suas falhas e fragilidades ficam evidentes.
Os Golpes de Estado começam a surgir e a inteligência tática a agir, as manobras são engenhosas e o leitor precisa acompanhar o raciocínio para que a leitura não seja de um simples romance com ação e sim um livro onde se possam destacar aprendizados, reflexões, argumentos e uma releitura da história política/social de seu próprio país.

Verônica Roth progrediu no quesito descrição, antes tão ríspidas e funcionais, agora soam mais pessoais, com direito até à críticas sobre o comportamento alheio. As cenas são expostas com primor e na dose correta, sem dificuldade somos inseridos em meio aos tiros e a correria.

Mesmo transbordando movimentação existem diversos períodos que a personagem se vê sozinha com seus pensamentos e indagações e são esses momentos que não se fazem pertinentes à trama, já que a narração em primeira pessoa não permite a adivinhação, somente especulações infundadas por meio da observação.

A personagem sempre forte e marcante nessa sequência está em conflito com suas atitudes. Além de ser um empecilho para a história, se transforma em um problema com seu par romântico, Tobias. Percalços vão assolar este casal, e muitas vezes são dificuldades impostas por eles mesmos e aparentemente sem motivos.
Espero que estas cenas façam parte do algo maior, caso contrário, só vejo uma autora que não quis adicionar um terceiro elemento ao enredo para criar o famoso triângulo amoroso e impossibilitar que sejam felizes antes do fim da série.
Muitos levarão esses pontos para o lado pessoal, o que só prova a capacidade da escritora em provocar sentimentos e sensações nos leitores.
Mesmo com essas instabilidades Veronica ostentou seu talento ao mascarar personalidades e consolidar o certo e o errado.

O encerramento de Insurgente deixou claro que esta série merece um lugar em sua estante, mais uma vez foi finalizado em um ponto crucial da história e agora só resta esperar por sua continuação.
Como já mencionado: “Uma leitura racional com o poder de despertar emoções e proporcionar discussões.”